Ir para o conteúdo principal
Natal na pandemia
Voltar

Natal na pandemia: como preparar seu e-commerce?

Confira quatro pontos que vão fazer você aproveitar melhor as oportunidades de vendas e conquistar mais clientes

Todo o cenário do varejo neste 2020 foi transformado pela pandemia. Com as restrições à circulação de pessoas, como o retorno do Estado de São Paulo à fase amarela, e o receio de pare da população em se expor ao risco de contaminação pelo vírus, o e-commerce ganhou um grande impulso: de cerca de 5% das vendas do varejo antes da pandemia, o comércio online passou a representar 12%.

A transformação digital do varejo, que era importante antes da pandemia, se tornou uma questão de sobrevivência diante da Covid-19. Por isso, ter um e-commerce bem estruturado para vender mais neste Natal será ainda mais importante. Com a entrada de milhões de consumidores no varejo online ao longo da pandemia e o aumento da recorrência e tíquete médio de quem já comprava, ter uma presença marcante no digital se torna estratégico.

Seja para segmentos que precisaram fechar as portas durante a pandemia, como vestuário e eletroeletrônicos, seja para segmentos essenciais, como supermercados e farmácias, que mantiveram a lojas físicas operando, este ano de 2020 mostrou que digitalizar os negócios é uma estratégia vencedora. Com a chegada das vendas de fim de ano, é hora de dar ainda mais foco para seu e-commerce e aproveitar as oportunidades de crescimento.

Como preparar meu e-commerce para o Natal?

Prever que este será o Natal mais digital da história não é nenhum exagero. Tomando como base o crescimento de 45% das vendas do varejo online na Black Friday, uma data tradicionalmente digital (e, portanto, teoricamente com menos oportunidades de expansão), é possível imaginar um desempenho muito positivo no Natal, quando predominam compras de celebração e presentes para amigos e parentes. Boa parte das vendas que aconteciam no varejo físico acontecerá no online, e as empresas precisam aproveitar esta chance.

Para aproveitar bem as oportunidades de vendas no Natal, conquistar novos clientes e aumentar a recorrência dos atuais consumidores, o varejo precisa estar atento a estes 4 pontos neste fim de ano:

1) Não olhe somente para o digital

O digital é uma parte cada vez mais importante da jornada de compras dos consumidores. Segundo o Google, praticamente toda jornada passa em algum momento pelo digital. Na pesquisa por produtos, no aprofundamento da seleção, na comparação de características e mesmo na compra propriamente dita, quem não está no digital perde espaço no mercado.

Ainda assim, o varejo físico pode ter um papel essencial na estratégia online. Pontos de venda próximos dos consumidores reduzem o custo da logística de última milha e facilitam o uso do “clique e retire”, levando público para as lojas, reforçando o relacionamento com os clientes e aumentando as possibilidades de cross selling.

Neste Natal da pandemia, a integração omnichannel cria possibilidades de interação com os consumidores e aumenta a quantidade de dados coletados, o que gera mais insights e impulsiona ofertas, promoções e ações de marketing mais assertivas.

2) Construa uma estratégia de marketplaces

Mesmo quando o varejo foca somente suas ações digitais, não existe um único caminho para o sucesso. Os marketplaces são uma oportunidade cada vez mais importante de contato, relacionamento e vendas: 78% das vendas online no Brasil acontecem a partir de grandes portais de comércio eletrônico.

Isso significa que é preciso ter uma estratégia de Natal que atraia clientes a partir dos marketplaces, para em um segundo momento levar público para sua própria plataforma digital. Com isso, será possível coletar mais dados para reforçar o relacionamento e aumentar o entendimento do cliente. Do mix de produtos vendido em sites de terceiros à publicidade digital, é importante definir com precisão como atuar nesse ambiente cada vez mais importante para os negócios.

3) Meios de pagamento

Você precisa estar atento aos meios de pagamento que oferece para seus clientes. A entrada em operação do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, neste final de ano, deu ainda mais força a esse assunto, que precisa ser bem trabalhado para que comunique modernidade e dê mais praticidade para os consumidores.

De cartões pré-pagos e gift cards a aplicativos, criptomoedas biometria e aproximação, diversos tipos de pagamento podem ser disponibilizados para o cliente. Cada um traz um benefício e tem um impacto diferente sobre os consumidores, dependendo de sua maturidade digital e propensão à experimentação.

4) Ofereça novas experiências

Com a pandemia, o varejo precisou se reinventar. A necessidade de oferecer digitalmente um contato mais próximo fez com que as empresas tivessem de ser mais criativas para oferecer experiências online que pudessem substituir temporariamente a ida às lojas físicas.

De espetáculos drive thru ao live streaming, que misturam entretenimento e compras, o consumo se digitalizou para este Natal. Os vendedores também ficaram mais digitais e chamadas de vídeo para apresentar produtos ganharam espaço. O Papai Noel do shopping está disponível pelo Zoom…

Neste Natal de pandemia, a facilidade de compra típica do varejo online passou a ter mais calor humano. E cada vez que o cliente recebe uma experiência como essa, menos ele quer voltar ao jeito de fazer negócios no pré-Covid.

Quanto mais o consumidor digitaliza seus hábitos, mais exigente ele se torna. Para encantar o cliente, é preciso mostrar que você o conhece, o que só pode ser feito com o uso intensivo de dados.

Com soluções tecnológicas que comparam a base de ofertas com a demanda, comportamentos e hábitos dos consumidores, é possível criar milhões de recomendações automáticas de ação. O resultado é o melhor entendimento do cliente, com aumento das vendas, da assertividade da comunicação e dos lucros.

Conte com a Propz para te ajudar em sua jornada de transformação digital!

Compartilhe

Fale com a gente.

Agende uma conversa