Ir para o conteúdo principal
como funciona o pix
Voltar

Como funciona o PIX e quais são seus impactos no varejo? Entenda!

O PIX, sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, entrou em operação no mês de novembro com a promessa de agilizar as transferências de dinheiro, dar opções mais econômicas para empresas e consumidores e aumentar a digitalização das transações. O resultado é o aumento da eficiência de todo o sistema.

Com pouco tempo de implementação, já se pode dizer que o PIX chegou para ficar. Entre os dias 7 e 13 de dezembro de 2020, o novo sistema representou quase 40% de todas as transferências bancárias realizadas, superando em mais de 6 vezes o número de DOCs e movimentando R$ 24,9 bilhões. Com 46,4 milhões de pessoas físicas que cadastraram uma chave no sistema, o PIX já está à disposição de um terço da população bancarizada brasileira. Para eles, passa a ser possível fazer transferências de e para empresas ou pessoas físicas em questão de segundos.

O PIX chegou em um momento de digitalização da população: com a pandemia, aumentou a procura por soluções de pagamento sem contato, o que impulsiona o novo sistema. Atualmente, 60% dos brasileiros fazem compras dentro de aplicativos e os apps dos bancos fazem parte da rotina dos consumidores. Como os brasileiros pretendem usar o PIX como substituto a meios físicos de pagamento, como boleto e dinheiro, essa é uma grande oportunidade para o varejo oferecer melhores experiências de compra e reforçar seu relacionamento com os consumidores.

Vantagens para o varejo

O PIX tem um impacto importante sobre a gestão financeira do varejo, pois aumenta o giro de caixa e libera mais recursos para investimentos estratégicos. Entre os principais benefícios do uso do novo sistema pelas empresas estão:

1)     Aumento da praticidade na compra

Como o PIX pode ser realizado de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana, ele é uma alternativa interessante para pagamentos de qualquer valor. Com ele, os clientes não precisam de nada mais que seu smartphone para fazer compras e pagar à vista. Uma compra de extrema praticidade, que faz muito sentido, por exemplo, em lojas de conveniência e redes de farmácia.

2)     Ganho de produtividade

Nas atividades de retaguarda, como pagamentos a fornecedores e conciliação bancária, o PIX representa ganhos significativos. Em vez de preencher uma série de dados em um DOC para um fornecedor, basta digitar o número da chave PIX (que pode ser o CNPJ da empresa) e realizar a transação em alguns segundos. Por sua praticidade, o sistema também pode ser usado como um integrador de carteiras digitais, facilitando a conciliação dos recebíveis.

3)     Aumento da oferta de meios de pagamento

Na relação com o consumidor, o PIX não é somente uma forma mais rápida de fazer uma transferência: ele representa uma grande oportunidade de digitalizar os pagamentos. O pagamento na loja física pode usar um único QR Code para diversas carteiras digitais, o que facilita a adoção de novos meios de pagamento. Em vez de negociar com “n” carteiras digitais, passa a ser possível integrar todos esses meios em um único sistema digital. Isso traz mais facilidade para o cliente e aumenta as vendas.

4)     Diminuição dos custos operacionais

As tarifas pagas aos bancos pela emissão de boletos ou nas transações de débito e crédito representam um percentual significativo dos custos operacionais do varejo. Mesmo as transações em dinheiro embutem um custo significativo no transporte e armazenamento das cédulas. O PIX faz com que essas transações tenham custo próximo de zero, gerando diretamente um aumento de margem de até 5%.

5)     Aumento do fluxo de caixa

Quando um boleto é pago, o processo de compensação pode levar até 3 dias úteis. Nas vendas por cartão de crédito ou débito, o dinheiro só fica disponível na conta do varejista no dia seguinte (ou dois dias depois da compra). Em uma transação por PIX, o dinheiro aparece na conta em questão de segundos. Isso gera um aumento de fluxo de caixa que pode ser significativo e facilita não só a compra de produtos para o estoque das lojas, mas também investimentos em outras áreas da empresa.

6)     Segurança

Transações com dinheiro geram uma questão de segurança, já que tornam a loja mais suscetível a assaltos. Além dos riscos à integridade física de colaboradores e clientes, isso também causa um aumento de custos, pois é preciso investir em segurança para o recebimento, transporte e armazenamento das cédulas. Tudo isso cai por terra com o PIX: como as transações acontecem eletronicamente, diminui o volume de dinheiro vivo no PDV, o que torna a loja menos atraente para malfeitores.

7)     Redução de fraudes

Com a realização instantânea de transações, diminui a possibilidade de fraudes com cartões de débito, crédito ou boletos. Isso significa mais segurança, redução de custos e aumento de competividade para o varejo.

8)     Melhor gestão dos estoques

No e-commerce, o boleto causa uma série de ineficiências. Atualmente, cerca de 30% das transações fechadas ocorrem por boleto, sem contar aquelas em que o boleto é emitido, mas não é pago. Nos dois casos, é preciso separar o produto e aguardar a compensação do boleto, o que pode levar até três dias úteis. É um tempo precioso em que o produto não pode ser vendido. Em épocas como Black Friday e Natal, esse pode ser um impacto importante na lucratividade do varejo. Além disso, há o trabalho de separar o produto, esperar pelo pagamento e devolver o produto ao estoque quando isso não acontece. Tudo isso é evitado com o uso do PIX.

9)     Controle de inadimplência

O PIX também pode ajudar a diminuir a inadimplência do varejo, já que o pagamento instantâneo evita situações em que a área de cobrança emite um novo boleto para o cliente para receber o pagamento dias depois. Com o PIX, será possível enviar um link de pagamento para o cliente e receber o pagamento na hora.

10)  Diminuição nas filas

De modo geral, o pagamento é a parte menos agradável de qualquer experiência de consumo. O que o varejista puder fazer para tornar esse processo menos visível e mais rápido, melhor. O uso de QR Codes no varejo físico acelera o uso de soluções de pagamento móvel, o que melhora a experiência em vários segmentos. Bares e restaurantes, por exemplo, ganham enorme agilidade no processamento dos pagamentos.

11)  Mais dados sobre o cliente

A possibilidade de realizar transações em tempo real aumenta as possibilidades de conhecimento dos hábitos dos clientes. Especialmente quando conectados a programas de fidelidade, essa é uma fonte de ricas informações sobre os clientes. Para o varejo, o PIX pode impulsionar o desenvolvimento de data lakes, reforçar o uso de plataformas de CRM e acelerar a transformação digital do negócio.

Vale, porém, um alerta: todo uso de dados pessoais dos consumidores precisa estar sujeito às disposições legais. A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) aumenta a responsabilidade das empresas no uso das informações de seus clientes e, por isso, deve ser considerada em toda iniciativa que utilize dados pessoais.

A adoção do PIX no mercado brasileiro vem sendo rápida e é um processo sem volta. Ele surge como um meio de pagamento mais amigável, funcional, simples e prático, para ser usado em qualquer tipo de transação e tanto em transações digitais quanto nas lojas físicas. Utilizar o PIX pode gerar grandes benefícios para o seu negócio. Esteja preparado!

Powered by Rock Convert
Compartilhe

Fale com a gente.

Agende uma conversa